• Jurandir Santos

A ARTE DE CONCILIAR A QUALIFICAÇÃO COM A SATISFAÇÃO PROFISSIONAL

Atualizado: Abr 25

Para os momentos de crise econômica, meu pai já dizia: trabalhe e estude! E assim tenho feito até hoje, dia após dia, qualificando-me e preparando-me para os novos desafios que a vida impõe.

O significado para a palavra qualificação (qualificar+ação) está pautado em empregar um atributo a algo ou a alguém. Já a qualificação profissional tem o seu sentido em preparar o cidadão no aperfeiçoamento das suas competências (conhecimentos, habilidade, valores, atitudes) para o mundo do trabalho, conferindo a ele o preparo requerido pelas áreas em que atua ou pretende atuar.


Sendo assim, a qualificação profissional pode ser entendida como uma busca daqueles diferenciais competitivos e fundamentais para a conquista de um emprego ou ascensão na carreira profissional.

Diferentes modalidades de ensino podem compor a qualificação do indivíduo: além da formação universitária, os cursos técnicos oferecem uma rápida formação e inserção profissional. Acrescente-se a essas modalidades o aprendizado de um novo idioma ou a participação em cursos de atualização e aperfeiçoamento, o que colaborará para mantê-lo atualizado com as necessidades do mercado de trabalho. E ainda, estar “antenado” com os principais assuntos que circulam no Brasil e no mundo contribuem com a sua qualificação.


Um profissional qualificado torna-se um empreendedor, ou seja, é capaz de identificar oportunidades em ações reais, com a finalidade de resolver problemas ou lidar com situações complexas.

Quem tem atitude empreendedora busca obter as competências que agregam valor ao negócio ou à ideia, prima pela inovação, é proativo, criativo, e acredita no seu próprio potencial. “O empreendedor é alguém que sonha e busca transformar seu sonho em realidade”, conforme define o prof. Fernando Dornelas (O segredo de Luiza, De Cultura, 2008, p. 23).


Contudo, a despeito da excelência eminentemente profissional, que se possa atingir, não se pode prescindir daquelas atitudes aparentemente insignificantes, porém essenciais, frutos da educação que vem de casa (o uso de expressões como “com licença”, “por favor”, “me desculpe”, entre outras regras básicas para a boa convivência social), e da cortesia, do espírito solidário, do bom senso e dos cuidados com a autoapresentação requerida em cada ambiente coletivo.


Sigmund Freud – o pai da psicanálise – já dizia que o indivíduo está pronto e demonstra saúde mental quando se encontra preparado para o amor e para o trabalho. Isso é muito mais do que cumprir uma determinada carga horária no trabalho, adquirir bens e serviços e poder honrar os compromissos financeiros decorrentes, mas, antes, obter prazer em realizar uma tarefa bem-feita, ser útil para a sociedade e promover o próprio desenvolvimento pessoal.


Portanto, é correto afirmar que um bom profissional, que tenha investido em seu crescimento integral e pleno, tem muito mais chances de ser reconhecido; neste sentido, quem não quer poder mostrar a sua potencialidade e ser bem-sucedido com o resultado do seu trabalho?


Então, seja qual for o seu interesse ou objetivo na vida, prepare-se para a mudança e comece, desde já, a fazer o seu futuro!


Jurandir Santos | diretor educacional do Senac São Bernardo do Campo | psicólogo, pós-graduado em E-Business, mestre em educação e doutor em Psicologia da Saúde pela Universidade Metodista | Autor dos livros: Educação profissional & práticas de avaliação (Editora Senac São Paulo, 2010) | Educação: desafios da atualidade (Editora Compacta, 2012) | Criança e adolescente em foco: dialogando com profissionais e cuidadores, Org. (Editora Senac São Paulo, 2014) | Membro fundador do Grupo de Estudos e Ações para a Paz e não Violência - GEAPAVI

www.jurandirsantos.com.br


Artigo originalmente publicado no Diário do Grande ABC com o título “Qualificação e satisfação” em 31/10/2016, Opinião, p. 2. Posteriormente o texto foi ampliado.

4 visualizações

© 2020 por Jurandir Santos. 

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Branca Ícone Instagram